A Difícil Tarefa de Arrumar as Roupas e Pertences do Falecido

Arrumar as roupas e os pertences do falecido provavelmente é uma das tarefas mais dolorosas após sofrer o impacto da perda. Os objetos da pessoa ausente estão carregados de sentimentos e histórias. Por esta razão a tarefa de lidar com as roupas e os pertences de quem partiu é tão delicada.

A importância das roupas e pertences do falecido no processo de luto.

Objetos são importantes para os que ficam pois representam a materialidade que não temos mais: abraçar uma peça de roupa ou um urso de pelúcia representa, de certa forma, o abraço que gostaríamos de trocar com nosso ente querido que partiu. Estar nos ambientes da casa como quarto ou escritório do falecido nos faz reviver momentos compartilhados ali e, muitas vezes, estas memórias estão ainda inundadas pela dor da despedida.

É melhor guardar ou se desfazer dos objetos e pertences de quem partiu?

Algumas famílias não querem se desfazer de nada, pois acreditam que precisam manter viva a lembrança ou o legado do falecido por meio dos bens que restaram. Outras acreditam que precisam tirar todas as coisas o mais rápido possível, na ilusão de que a dor e a saudade possam ser amenizadas. Ambas as escolhas são tentativas de abrandar o sofrimento pela ausência da pessoa falecida e nenhuma está totalmente certa ou totalmente errada

Quando começar e como organizar os pertences do falecido?

Não há um momento “certo” para arrumar os pertences, assim como não há um tempo determinado para atravessar o período do luto. Nesta situação é importante saber respeitar o processo de cada um. A família precisa de tempo e calma para lidar com tudo isso. 

Abaixo damos algumas importantes orientações que podem ajudar na tarefa de arrumar as roupas e pertences do falecido: 

  • Conversem entre si antes de tomar decisões.
  • Respeitem o momento de um e de outro, sem forçar qualquer decisão precipitada.

Procurem dar início à arrumação ao longo dos primeiros meses de luto, mas considerem arrumar as coisas devagar, por partes, conforme forem aguentando.

Itens e objetos importantes do falecido que devem ser guardados primeiro.

Além de ser um momento muito doloroso, a perda de um ente querido é também um momento de muitas decisões burocráticas. Nem sempre a família considerou um planejamento para morte, o que faz desta etapa um período ainda mais complicado, em que se procuram documentos importantes e informações úteis para os próximos meses. 

A organização dos documentos pode ser o início do processo de arrumar os pertences do falecido. Reúna todos os documentos, os coloque em uma pasta separada e a guarde em um local seguro porém de fácil acesso. É provável que a família precise destes documentos nos processos de herança, inventário, seguros e etc.

Monte uma caixa da memória para os pertences mais importantes do seu ente querido.

Assim como um baú guarda um precioso tesouro, reúna os objetos que melhor representam a pessoa que partiu, coloque-os em uma caixa e tenha seu próprio tesouro. Os objetos devem ser selecionados não pelo seu valor econômico, mas pelo valor sentimental que eles carregam: uma camisa favorita, um boné, chaveiro, fotos, cartas e tudo que trouxer lembranças positivas do seu ente querido. 

Feche a caixa e escreva o nome da pessoa que partiu. Deixe em um lugar guardado e abra seu tesouro sempre que quiser relembrar momentos importantes ou amenizar a saudade.

Doe as roupas do seu ente querido e ajude quem precisa.

As lembranças são mais valiosas que os objetos e, portanto, um bom destino para as roupas do seu ente querido é ajudar quem precisa. Tenha em mente que as lembranças que você deve guardar estão na sua mente e coração, não em objetos deixados pela pessoa. 

Adélia Prado, poetisa brasileira, escreveu que “aquilo que a memória amou fica eterno”, portanto não se preocupe em guardar objetos como recordação para o futuro, pois todos os momentos vividos com amor existirão pela eternidade em sua memória.

Transforme o quarto da pessoa que faleceu em um cômodo neutro depois do luto.

O quarto do ente querido é muito representativo para toda a família. Manter a disposição dos móveis intactos pode trazer um grande sofrimento. Se isso for possível, no momento adequado para todos os moradores da casa, será uma boa ideia ir aos poucos planejando uma nova função para o cômodo. Podem pensar em um escritório, uma biblioteca, ou sala de TV. Manter a porta aberta também é importante para que todos possam ir se habituando aos poucos com o cômodo remodelado.

Dê tempo ao tempo e peça ajuda.

Não se sinta pressionado para fazer muito e se apressar para terminar tudo de uma vez. Dê tempo ao tempo e considere pedir ajuda e companhia de alguém em quem você confia, alguém que possa acolher a sua tristeza neste momento.

Busque apoio para o luto.

Nós do Parque da Cerejeiras somos especialistas no apoio ao luto e disponibilizamos vários meios de informação e ajuda gratuita. 

Você pode contar com grupos de apoio, missas, palestras com psicólogas especializadas no luto e muitas opções de materiais e textos em nosso blog sobre o assunto. Confira alguns que preparamos e podem ajudar: 

Preencha o formulário abaixo para conhecer nossas soluções.

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right

Este texto foi desenvolvido pelo Centro de Psicologia Maiêutica em colaboração com o Grupo Cerejeiras

Para conhecer nossas soluções, clique aqui.

Deixe uma resposta