fauna no cerejeiras

Fauna no Cerejeiras

fauna no cerejeiras

Convivência com a natureza: fauna no Cerejeiras.

Algumas pessoas não sabem, mas o Memorial Parque das Cerejeiras, em sua busca pela harmonia e integração com a natureza, tem diversos animais vivendo ao longo de sua área.

Pavões, diferentes aves, borboletas e carpas são alguns exemplos que os visitantes encontram quando andam pelos arredores do Cerejeiras. 

Os animais contribuem para criar uma atmosfera natural e acolhedora, fortalecendo a conexão com a natureza que, em uma cidade agitada como São Paulo, nem sempre é possível e costuma fazer falta.

Um estudo recente sobre a fauna no Cerejeiras detectou a presença de 89 espécies diferentes, das quais 81% são aves, 9% do grupo de anfíbios e répteis, 8% de mamíferos, e ainda 2% de invertebrados.

A presença de animais no ambiente do Cerejeiras proporciona diferentes benefícios para os visitantes, pois estes podem desfrutar da companhia e observação de várias espécies, gerando uma sensação de tranquilidade e conforto.

Essa interação com animais pode ser terapeuticamente positiva, ainda mais para quem está passando por um momento de luto, pois auxilia na redução do estresse e na promoção do bem-estar emocional, que são fundamentais para ajudar a enfrentar esse momento.

Conheça mais sobre a relação entre a fauna local e o Cerejeiras.

O Cerejeiras tem como vizinho um espaço muito especial: o Parque Ecológico do Guarapiranga. Por conta dessa proximidade, nosso espaço acaba sendo passagem para os animais da região e ele também é escolhido como área de descanso pelos animais aquáticos da represa.

A presença dos animais no Parque das Cerejeiras traz benefícios não apenas para os frequentadores, mas também cumpre com um papel ecológico importanteEles ajudam com o controle de pragas, polinização de plantas e na manutenção do equilíbrio do ecossistema local. 

Assim, a presença desses animais pode contribuir para a saúde e a diversidade da flora e fauna na região. Para que toda a interação entre os visitantes e a fauna no Cerejeiras seja segura e respeitosa, há diversas regras e protocolos que foram estabelecidos. 

Eles são resultado de pesquisas e estudos realizados, com o intuito de garantir a proteção dos humanos e dos bichinhos.

Quais cuidados temos com a fauna do Cerejeiras?

Diariamente, existem diversas precauções em torno do bem-estar dos animais que circulam pelo Cerejeiras. Um exemplo são as inspeções frequentes que são realizadas por toda sua extensão para averiguar a existência de armadilhas e, consequentemente, desativá-las. 

ronda também serve para inibir a entrada de caçadores furtivos interessados em capturar ou até matar os animais. Uma preocupação constante é quantos aos ninhos. 

É necessário tomar precauções durante atividades, como roçado de áreas com grama e poda de arbustos, a fim de evitar danosgarantir o desenvolvimento adequado dos filhotes. 

Quando encontramos um ninho, é isolada uma área com raio de 3 metros de distância. Além disso, é feita a sinalização com fita zebrada para evitar a aproximação de roçadeiras e pessoas que possam representar risco de morte ou de lesões aos filhotes. 

Eles, normalmente, estarão prontos para sair do ninho e voar após um período médio de dois meses. Essas medidas visam proteger a fauna local e garantir que os animais tenham a oportunidade de se reproduzir e completar seu ciclo de vida naturalmente. 

Por isso, é importante respeitar as leis e regulamentos ambientais para conservar a biodiversidade e o equilíbrio dos ecossistemas.

De aves a galinhas d’angola: quais animais estão pelo Memorial Parque das Cerejeiras?

Quem já visitou ou viu fotos do Cerejeiras sabe que o que não falta são flores espalhadas por todo o Parque. Graças a essa vasta flora, as borboletas são presença constante por aqui. 

Para que elas sejam bem-vindas em nosso espaço, cultivamos plantas hospedeirascom néctar, a fim de abrigar seus ovos e lhes fornecer alimento. Quando visitar o Memorial Parque das Cerejeiras, certamente encontrará galinhas d’angola andando pelo espaço. 

Uma curiosidade: toda elas nasceram aqui. As galinhas d’angola são excelentes controladoras de pragas, como carrapatos e insetos, favorecendo o controle biológico.

Os pavões também são presença garantida entre os visitantes com sua beleza ornamental e majestosa, plumagem colorida e cauda imponente. Como eles gostam de locais extensos para se locomoverem, estão sempre transitando próximos a espaços do Cerejeiras, como a administração e a capela.

As carpas estão numa localização especial: no lago com três quedas d’água. Esse ambiente é bastante procurado pelos visitantes por ser relaxante, já que o barulho de água e a beleza das carpas transmitem serenidade e amenizam as emoções.

Corujas, tucanos, sabiás, quero-queros, maritacas… esses são alguns exemplos de aves que se exibem pelo Cerejeiras. Da mesma forma que com as borboletas, temos árvores frutíferas para acolhê-las e alimentá-las. 

Ao andar por aqui, certamente terá como companhia o canto das aves.

Meliponário Cerejeiras: cuidados com as abelhas para ter equilíbrio ambiental.

Você sabe o que é meliponário? É onde são criadas e cuidadas abelhas sem ferrão e que produzem mel. Em 2021, começamos a construção do Meliponário Cerejeiras, com colmeias especiais, chamadas de melgueiras, que servem como moradia para as abelhas.

E por que esse interesse do Cerejeiras em criar e cuidar dessas abelhas?

Elas são as grandes responsáveis pela polinização de árvores e flores. Esse processo está diretamente ligado com a nossa alimentação, pois frutas e legumes, por exemplo, são produzidos graças ao trabalho incansável desses insetos. 

Sem as abelhas, muitas culturas agrícolas seriam severamente afetadas, levando a uma diminuição na produção e disponibilidade de alimentos. Além dessa importância na alimentação, a cera e o própolis produzidos por elas são bastante utilizados pela medicina tradicional e indústria de cosméticos.

Como se não bastasse, esses pequenos insetos contribuem para a manutenção da saúde dos ecossistemas. Ao polinizar as plantas, as abelhas ajudam a conservar a biodiversidade e promovem a restauração de áreas degradadas. 

Sua presença em ecossistemas naturais indica tanto a qualidade do ambiente quanto a presença e disponibilidade de recursos para outros animais. No entanto, cada vez mais a população de abelhas tem diminuído, gerando grande preocupação mundial. 

Não é à toa que Assembleia Geral das Nações Unidas escolheu uma data especial para chamar a atenção para esse problema: o dia 20 de maio é o Dia Mundial da Abelha.

Por todas essas razões, o Cerejeiras quis fazer a sua parte e instalar seu próprio meliponário e, assim, colaborar com a preservação e cuidado com as populações de abelhas, tão essenciais para garantir um meio ambiente equilibrado e sustentável.

Quer descobrir mais sobre a relação do Memorial Parque das Cerejeiras com a fauna local?

Acesse e conheça melhor nossos projetos e cuidados.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *