Sustentabilidade e Meio Ambiente no Cerejeiras

SUSTENTABILIDADE E MEIO AMBIENTE

O Grupo Cerejeiras acredita na adoção de causas e na propagação de valores que possam impactar positivamente nosso planeta. Temos a ambição de contribuir para construir um mundo melhor, começando pela nossa comunidade, pelas pessoas com quem convivemos, pelo nosso entorno.

Um dos pilares mais importantes do nosso Compromisso com a Sustentabilidade é o meio ambiente. Acreditamos que preservar o meio ambiente é demonstrar respeito pelo nosso planeta e consideração pelas gerações futuras. 

Além de nossas ações para a preservação e conservação ecológica, adotamos políticas proativas voltadas à restauração e reabilitação de áreas degradadas, ao desenvolvimento de nossas atividades com base princípio do mínimo impacto e à disseminação de práticas de transformação e reaproveitamento.  Porque temos a missão de não poluir, de não destruir, de reabilitar e de preservar.

O Parque das Cerejeiras

O Grupo Cerejeiras orgulha-se de ter, no Cemitério Memorial Parque das Cerejeiras, uma expressão das melhores práticas ambientais. 

Entendemos o Memorial Parque das Cerejeiras como mais que um espaço de homenagens. Localizado no distrito do Jardim Ângela, região do M’Boi Mirim, no entorno da Represa de Guarapiranga, o Parque das Cerejeiras é um raro oásis de conservação ambiental na densa paisagem urbana da Zona Sul de São Paulo.

Área de Preservação Ambiental

A região do M’Boi Mirim passou a conviver, a partir dos anos 1980, com a expansão desordenada e o adensamento populacional em condições precárias de estrutura urbana. Firmava-se então a vocação do Memorial Parque das Cerejeiras como parque de preservação, um dos poucos ambientes de resistência e proteção de áreas verdes e espaços livres na região. Esta visão seria abraçada em 2014 pelo Plano Diretor do Município, por meio do plano municipal de áreas protegidas e áreas verdes e espaços livres, integrado pelos cemitérios municipais.

Além de contar com 90% de seu espaço em áreas verdes e 50% em áreas de conservação florestal, o projeto ambiental do Parque das Cerejeiras inclui o investimento na requalificação da biodiversidade, com o reflorestamento, enriquecimento da mata nativa e a criação de um cinturão verde. Nos últimos anos, plantamos mais de 20 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica, tais como jatobá, jequitibá branco, palmiteiro juçara, pau ferro, aroeira, embaúba e ipê amarelo.

Este é nosso Parque em números:

  • Área Total – 304.152 m²
  • Área Verde – 274.000 m²
  • Preservação Florestal – 156.000 m²
  • Cinturão Verde – 110.000 m²
  • Área de Preservação Permanente – 38.000 m²

Na área de preservação florestal do Parque das Cerejeiras, abrimos trilhas sinalizadas, que convidam o visitante ao contato com a natureza.

Fauna Silvestre

A requalificação da biodiversidade  alcança também a fauna. Os projetos de reflorestamento e de enriquecimento da mata nativa, inclusive para a criação do cinturão verde, foram elaborados para promover um ambiente propício para as diversas espécies de animais que habitam o Parque. Um habitat capaz de acolher e alimentar os animais com uma variedade de árvores frutíferas.

Por conta da proximidade com o Parque Ecológico do Guarapiranga, vizinho lindeiro do Parque das Cerejeiras, contribuímos para a formação de um corredor natural de quase 3 milhões de metros quadrados de área de preservação, que favorece o desenvolvimento da fauna e da flora existente da região.

Hoje é possível avistar no Parque das Cerejeiras diversas espécies de animais que ali circulam livremente, sobretudo aves nativas, tais como joão-de-barro, quero-quero, coruja, garça, tucano e curicaca.

Além dessas espécies, temos programas específicos que incrementam a biodiversidade do Parque:

  • Borboletas – iniciativa para difusão de plantas e flores propícias para alimentação e reprodução de borboletas.
  • Abelhas – criamos um novo projeto para promover a propagação de comunidades de abelhas, conhecidas por seu importante papel na polinização
  • Galinhas d’Angola e Pavões – são 34 galinhas d’Angola e 5 pavões introduzidos no nosso ecossistema. Circulam livremente pelo Parque, alimentam-se de uma variada diversidade de insetos, e servem para o controle biológico contra a disseminação de pragas e vetores, evitando o uso de produtos químicos.

Projeto Vida Verde

Plante uma árvore e veja nascer uma homenagem

Por meio do Projeto Vida Verde, o Memorial Parque das Cerejeiras convida o visitante a plantar uma árvore em homenagem ao ente querido falecido. Incentivamos que os que prestam a homenagem realizem o ato de plantio, disponibilizando muda, pá, regador e adubo em nosso espaço de compostagem.

O ato de plantar uma nova árvore no mesmo espaço do sepultamento do ente querido é uma forma de celebrar a memória através da vida e de simbolizar a continuidade. Percebemos que este ritual contribui para a elaboração da perda e para a expressão do luto. 

O Projeto Vida Verde une assim dois pilares de nossa atuação: o apoio ao luto e a preservação do meio ambiente. Já são mais de 500 homenagens em forma de árvores já plantadas.

Gestão Sustentável

Além de nossas ações para a preservação e conservação ecológica, adotamos políticas proativas de gestão sustentável, com o desenvolvimento de nossas atividades com base no princípio do mínimo impacto.

O descarte responsável de resíduos inorgânicos, o reaproveitamento de resíduos orgânicos por meio da compostagem, a reciclagem de resíduos florestais em arte, o manejo sustentável dos recursos hídricos, são todos exemplos de ações e políticas que contribuem para a sustentabilidade do nosso planeta.

Descarte de Resíduos

O excesso na geração de resíduos é um dos grandes problemas ecológicos do mundo moderno. O sistema de coleta de disposição de resíduos está saturado. Nossos rios e oceanos estão repletos de lixo. 

Nos últimos anos, como parte de nosso compromisso com a sustentabilidade, temos redobrado nossos esforços para minimizar a geração dos resíduos no Parque das Cerejeiras. 

Em 2013, iniciamos nosso programa de compostagem para o tratamento de resíduos orgânicos. Em 2017, através de uma parceria com a Morada da Floresta, ampliamos o nosso programa e atingimos a marca de 100% de compostagem dos resíduos orgânicos. 

Hoje temos um espaço destinado exclusivamente ao tratamento de resíduos orgânicos: são 3 leiras de 12 metros de comprimento por 3 metros de largura e 1,5 metro de altura, além de áreas suporte para armazenagem dos resíduos, estoque de palha e armazenamento de adubo, e áreas de manobra e manejo das leiras de compostagem. A geração de resíduos sólidos orgânicos chega a aproximadamente 417 m³ ao ano, ou 165 toneladas anuais.

O adubo gerado neste processo é utilizado nos canteiros, plantio de árvores e em nossas áreas florestadas.

Com nosso programa de compostagem, o benefício ambiental vem de várias maneiras:

  • Diminuímos em cerca de 70% o volume total de lixo produzido. 
  • Aliviamos a demanda por aterros sanitários, que estão sobrecarregados.
  • Reduzimos a emissão de poluentes e o uso de energia no transporte de resíduos.
  • Evitamos a geração de subprodutos poluentes, como o chorume tóxico e o gás metano, que contaminam o solo, os lençóis freáticos e a atmosfera.
  • Produzimos fertilizantes de forma natural e sem o uso de produtos químicos sintetizados artificialmente.

Também promovemos a reciclagem dos resíduos inorgânicos, com a separação e destinação adequada de plásticos, latas e vidros.

De Resíduos Florestais a Esculturas Mobiliárias

A concepção de nosso cemitério-parque, ou parque-cemitério, aposta na construção de um espaço em que há harmonia entre preservação e transformação, contemplação e transcendência, memória e inspiração. 

Das muitas obras de artistas contemporâneos brasileiros que compõem nosso acervo, destacamos nossas esculturas mobiliárias, resultado do reaproveitamento, da reciclagem de resíduos florestais. São 22 obras de autoria do artista plástico Hugo França, nascidas de um diálogo criativo entre a matéria-prima e arte. Criadas a partir de árvores condenadas, transformam-se em bancos dispostos a céu aberto, em que as formas naturais da matéria-prima (buracos, rachaduras, marcas de queimada e da ação do tempo) servem de inspiração estética para integrar um entorno transformado.

Aqui o reaproveitamento e a reciclagem subsidiam a arte. Além da simbologia da transformação e da transcendência em conexão com o espaço de descanso e memória, podemos comunicar ao visitante o valor da sustentabilidade ambiental.

Água e Consciência Ambiental

A água é a fonte da vida. Preservar os recursos hídricos, com um manejo consciente e que evite o desperdício de água, é essencial para a ideia de preservação ambiental. 

O conceito da permeabilidade do solo, que permite a drenagem da água da chuva, orienta o nosso projeto arquitetônico. Contamos com 90% do nosso espaço em áreas verdes, naturalmente permeáveis. Todas as calçadas das quadras do Parque das Cerejeiras são gramadas. Nosso arruamento é ecológico, feito com piso Inter travado, retarda o escoamento superficial e favorece a infiltração da água para o lençol freático. 

Com 98% do nosso espaço permeável, damos nossa contribuição para diminuir o impacto das enchentes e do efeito estufa.

Aproveitamento da Água - Sistema Mano

Para captação e consumo de água não potável, implantamos no Parque das Cerejeiras o sistema Mano. Inspirado no projeto do arquiteto Mano Mattos, o modelo desenvolvido pelos também arquitetos Uli Zens e João Pedro David passou a ser divulgado para a sociedade a partir da crise hídrica de 2014.

Este sistema vertical de captação e armazenamento da água da chuva representa uma alternativa atraente para quem não tem espaço para cisternas tradicionais. Modular, ele pode ser adaptado às mais diferentes condições e combinado com outras formas de reuso e tratamento de água.

Nosso interesse pelo sistema Mano não vem só dos benefícios diretos que colhemos com o reuso de água dentro do empreendimento. O custo baixo, a adaptabilidade e a facilidade de instalação tornam o sistema altamente replicável em qualquer estabelecimento ou residência. Por isso, nos tornamos também divulgadores voluntários dessa solução: qualquer visitante do Parque das Cerejeiras pode retirar o manual de instalação do sistema Mano (disponível junto ao próprio sistema). 

Sabemos que a replicação de um sistema de reaproveitamento ajudará na redução da pressão sobre a demanda de água dos reservatórios e mananciais que abastecem a região.

Referência e Educação Ambiental

Com as diversas ações de sustentabilidade adotadas pelo Grupo Cerejeiras, abraçamos o propósito de promover a educação ambiental da sociedade. Queremos propagar os valores da sustentabilidade e da preservação do meio ambiente, divulgando e dando visibilidade a nossas práticas e ações. Afinal, a efetiva proteção do meio ambiente depende da consciência coletiva sobre a importância de cada ação individual. 

Realizamos oficinas de compostagem e mantemos nossa área de compostagem aberta e visível para os visitantes. Incentivamos o plantio de mudas de árvores por meio do Projeto Vida Verde. Propagamos o exemplo da prática de reutilização da água através do sistema Mano. Promovemos o contato dos visitantes com a natureza, com trilhas em áreas de florestas que convidam o visitante à contemplação, à reflexão e à conscientização ambiental.

Como nosso compromisso com a sustentabilidade e preservação do meio ambiente é duradouro, planejamos novos projetos e ações para o futuro próximo. Na gestão sustentável, prevemos a instalação de painéis solares para produção de energia e a ampliação dos sistemas de captação de água. Para a diversificação do nosso ecossistema, projetamos a criação de um borboletário, a instalação de um orquidário/viveiro e o investimento na criação de abelhas.

Porque temos a missão de não poluir, de não destruir, de reabilitar e de preservar.

Para conhecer nossos serviços, clique aqui.

Deixe uma resposta