Os impactos do luto sobre a vida financeira da família

luto

A saudade e a tristeza pela perda de alguém querido infelizmente não são as únicas coisas com as quais uma família em luto precisa lidar. O sofrimento emocional decorrente da perda é uma grande parte do trabalho de luto, mas com ele estão também outros tipos de dificuldades, dentre elas o desafio financeiro.

Muitas pessoas já entram no processo de luto com as finanças desequilibradas devido a um tratamento de saúde prolongado, por ter que ficar afastado do trabalho por um longo período ou quando há algum problema de saúde na família. Nestas situações, não há como medir esforços financeiros ou economizar.

Além disso, sempre haverá algum custo com despesas de velório e sepultamento e esse custo pode ser maior ou menor, caso a família tenha ou não se planejado para isso por meio de um plano ou seguro funerário, por exemplo. 

Não é incomum que a pessoa em luto sinta dificuldades em retomar as atividades do dia a dia, especialmente no início do processo, o que pode também ocasionar outras perdas de renda decorrentes da ausência no trabalho. 

Quando a pessoa que faleceu era o provedor principal da família, costuma haver um grande abalo financeiro inicial, até que novas formas de renda sejam desenvolvidas pelo grupo familiar. 

Os impactos financeiros do luto compõem uma difícil realidade, contudo é importante saber que há formas de enfrentamento que podem ajudar pessoas que se encontram nesta situação.

Peca Ajuda o Mais Rápido Possível

Por mais doloroso que seja ter que pensar em dinheiro quando estamos consumidos pela tristeza, não olhar para isso lhe trará problemas maiores com os quais você terá que lidar em algum momento. Se estiver desconfiado de que você precisa tomar alguma atitude com suas finanças, mas está sentindo dificuldades em pensar nisso, peça o apoio de alguém confiável para te ajudar a avaliar a situação financeira em que você se encontra e buscar soluções. Tome todo cuidado com pessoas ou instituições não confiáveis, para que não se aproveitem deste momento de fragilidade emocional.

Obtenha Uma Imagem Completa da Sua Vida Financeira

Procure saber ao certo de quais recursos e despesas você e sua família dispõem neste momento. Se você mantinha uma vida financeira em conjunto com a pessoa que faleceu, procure se inteirar da situação analisando seguros, investimentos, poupanças e dívidas.  Pode ser muito dolorido fazer este processo, mas será útil para você nos meses que seguirão. 

Faça Uma Reunião Familiar

Diante das informações sobre as finanças, reúna sua família, inclusive as crianças. Explique o novo cenário e concentre-se somente nos gastos necessários. Tenha em mente que este será apenas um período da sua vida e que o novo equilíbrio financeiro e emocional será, aos poucos, conquistado novamente.

Emoções e Dinheiro Devem Andar Separados

Dores emocionais não são tratadas com compras. Analise se você está gastando mais do que deveria para tentar obter algum prazer diante de uma situação de perda que traz sofrimento intenso. Por vezes, tentamos disfarçar a dor com compras, comidas, viagens e outras coisas. Fugir do seu luto não é uma boa escolha, o luto precisa ser vivido para que você possa cicatrizar suas dores e encontrar formas de ressignificá-lo.

O dinheiro pode se tornar pouco importante para você diante da falta de quem se ama, e de fato é. Não permita, no entanto, que a desorganização financeira seja mais uma carga que você precisa carregar no seu processo de luto. Nesta jornada, o peso da sua saudade já é suficientemente grande.

Este texto foi desenvolvido pelo Centro de Psicologia Maiêutica em colaboração com o Grupo Cerejeiras

Preencha o formulário abaixo para conhecer nossas soluções.

Deixe uma resposta