Passos para superar o luto

Quais são as fases do luto e o que fazer para superar?

O Luto é um processo natural que faz parte de nossas vidas. 

Todos nós passamos em média por 15 lutos com a morte de pessoas próximas durante nossas vidas. Na ordem natural da vida, perdemos nossos avós, pais, sogros, tios e eventualmente irmãos, primos e  amigos próximos. Também existe a possibilidade de sofrermos por perdas trágicas e inesperadas como a de filhos.

O luto acontece com todos nós, o que varia é a intensidade com que os seus sentimentos serão vivenciados. Para alguns, o luto parece eterno, para outros, é apenas mais uma etapa da vida em que o tempo irá resolver.

O que é o luto?

O luto é uma resposta emocional normal de sofrimento, que acontece após a perda de uma conexão afetiva muito forte, seja com uma pessoa, animal, objeto ou com um bem imaterial, como o emprego, por exemplo.

Esta resposta perante a perda varia bastante de pessoa para pessoa e, por isso, não existe um período específico para determinar o quanto deve durar o luto de cada pessoa. Ainda assim, a Associação Americana de Psiquiatria definiu alguns parâmetros para ajudar a identificar o luto patológico, que não é saudável e que deve ser tratado.

A forma como cada pessoa vive o luto depende de vários fatores como a relação que tinha com a pessoa falecida, o tipo de apoio familiar ou social e a personalidade de cada um.

Fases do luto

O processo de luto é muito diferente de uma pessoa para a outra e, dessa forma, existem várias maneiras de expressar os sentimentos que a morte e a perda podem causar. No entanto, é comum que o processo de luto esteja dividido em 5 fases:

Negação: Ao receber a notícia de que se perdeu algo ou alguém com quem se tinha uma ligação muito forte, é muito possível que, numa primeira fase, a pessoa não acredite na notícia, sendo possível observar uma reação de negação.

Esta reação pode ainda ser acompanhada de um afastamento das outras pessoas, que geralmente serve para ajudar a aliviar a dor e outros efeitos negativos que este tipo de notícia traz.

Raiva: após a pessoa ter negado o acontecimento, é frequente que surjam sentimentos de raiva, que podem ser acompanhados de outros sinais como choro constante e aborrecimento fácil, mesmo com amigos e família. Pode ainda existir inquietação e ansiedade.

Negociação: É normal que a pessoa continue com uma certa dificuldade para aceitar a realidade e, por isso, pode tentar chegar a um acordo para sair da situação que está vivendo. Nesta fase, a pessoa pode até tentar fazer um acordo com Deus, para que tudo volte a ser como era antes.

Este tipo de barganha varia de pessoa para a pessoa e, muitas vezes, é algo que se faz de forma inconsciente, a menos que se esteja fazendo acompanhamento com um psicólogo ou psiquiatra.

Depressão: Durante esta fase a pessoa entra no processo de se acostumar com a situação e, por isso, podem existir sentimentos de fragilidade, insegurança, mágoa e nostalgia.

É nesta fase que a pessoa começa a ter maior noção da realidade e de que, o que aconteceu, não pode ser resolvido. É também nesta fase que se recomenda o acompanhamento com um psicólogo para ajudar na adaptação à nova realidade, de forma a entrar na última fase do luto.

Aceitação: Esta é a fase final do processo de luto, em que a pessoa começa a recuperar os hábitos que tinha antes do acontecimento que causou a perda, retomando sua rotina diária normal. É a partir desta fase que a pessoa também passa a estar mais disponível para as relações sociais com amigos e família.

Sintomas do luto

Além das que citamos aqui, há também uma lista comum de reações emocionais e psicossomáticas que caracterizam o luto:

  • Crises de ansiedade;
  • Estresse;
  • Crises de choro;
  • Dores de cabeça;
  • Compulsão alimentar;
  • Melancolia e culpa;
  • Insônia;

Desânimo intenso para realizar qualquer atividade.

Assim como tantos outros transtornos e doenças emocionais, a psicoterapia é uma das atividades que pode ajudá-lo a superar o luto. A perda de um ente querido não deixa de ser um evento estressor e a mente tende a reagir a algo que ameaça a sua integridade.

A reorganização dos pensamentos e sentimentos advindos dessa dor são estratégias fundamentais para uma readaptação saudável.

O que pode ajudar nesse momento?

  • Respeite as fases do luto; 
  • Compartilhe seus sentimentos; 
  • Mantenha a memoria do seu ente viva; 
  • Participe de grupos de apoio;
  • Rodei-se de pessoas queridas;

Além destas estratégias, é sempre uma boa opção consultar um especialista, como um psicólogo ou psiquiatra, que poderá avaliar o caso e sugerir outras opções para ajudar a superar melhor o processo de luto.

Materiais de Apoio

Destacamos os materiais que elaboramos e que distribuímos para suporte aos enlutados:

Preencha abaixo para mais informações.

Para conhecer nossas soluções, clique aqui.

Deixe uma resposta